Conecte-se Conosco

Educação

Especialista explica como validar o diploma brasileiro em Portugal

Publicado

em

Brasileiros continuam como maior comunidade imigrante residente no país europeu

De acordo com dados divulgados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal (SEF), a imigração no país continua a crescer pelo sétimo ano consecutivo, ultrapassando a marca de 750 mil estrangeiros e representando um aumento de 8,3% em relação a 2021. Nesse cenário, o Brasil mantêm-se como a maior comunidade estrangeira residente, somando 233.138 pessoas. Com cada vez mais brasileiros realizando a mudança, fica claro que um bom planejamento é crucial para chegar ao velho mundo preparado. Pensando nisso, validar um diploma do país em Portugal é um passo importante para aqueles que buscam oportunidades de educação e trabalho.

Para esclarecer as nuances desse procedimento complexo, Patricia Valentim, administradora de empresas com MBA em marketing, proprietária e diretora executiva da CV Assessoria Internacional, empresa de assessoria em imigração, nacionalidade e negócios internacionais, oferece orientações valiosas. “Acreditamos em uma abordagem personalizada para cada cliente. Nossa equipe é composta por profissionais altamente qualificados e experientes nesses temas. Trabalhamos em parceria com diversos especialistas para oferecer as soluções de acordo com cada caso”, explica. Entre os elementos variáveis desse processo estão os custos e a duração, que mudam de acordo com a universidade e o método de validação escolhidos.

Ela ressalta a importância de compreender as diferenças entre a validação de diplomas para estudos e trabalho em Portugal. “Para quem busca estudar no país, o primeiro passo é reconhecer a equivalência do diploma brasileiro com o sistema de ensino português”, explica Patrícia. Isso geralmente envolve a submissão de documentos, como histórico escolar e certificados, ao Ministério da Educação de Portugal ou a uma universidade específica, que avaliará e aprovará o reconhecimento do diploma.

É crucial distinguir entre reconhecimento e equivalência de diplomas. O reconhecimento valida um grau obtido fora de Portugal, enquanto que a equivalência compara o grau brasileiro com seu equivalente em Portugal, envolvendo análises detalhadas.

“Além disso, para fins de trabalho em Portugal, o reconhecimento do diploma também é essencial. O processo varia de acordo com a profissão, geralmente envolvendo a validação do diploma pelo órgão regulador do segmento em Portugal. Por exemplo, se você é médico, precisará contatar a Ordem dos Médicos do país para iniciar o processo de validação do seu diploma”, destaca Patrícia.

É fundamental estar ciente dos prazos e dos custos associados ao processo de validação do diploma no país europeu. Os procedimentos podem levar algum tempo e variar em custos, portanto, é aconselhável iniciar o processo com antecedência e preparar um orçamento adequado.

Sobre Patricia Valentim

Administradora de Empresas com MBA em Marketing pela FGV/SP, Patricia possui uma vasta experiência de mais de 25 anos nos mercados financeiro, administrativo e de gestão de negócios no Brasil. Ao longo de sua carreira, trabalhou em renomadas multinacionais, como o Grupo Pão de Açúcar, Fic (Financeira do Itaú em parceria com o Grupo Pão de Açúcar), Carrefour, MFS – Mobile Financial Services (uma joint venture da Mastercard e Vivo) e a Mais Solution Group. No momento, ocupa o cargo de responsável pela administração e finanças da clínica odontológica Todescan Jr. Odontologia, além de desempenhar o papel de proprietária e Diretora Executiva da CV Assessoria Internacional.

Para obter mais informações, acesse o site da CV Assessoria Internacional ou o Instagram @cv.assessoria.internacional.

Sobre a CV Assessoria Internacional

A CV Assessoria Internacional é uma empresa especializada em imigração, nacionalidade e negócios internacionais, fundada com o objetivo de auxiliar seus clientes a concretizar seus sonhos de trabalhar, investir ou residir no exterior.

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Influenciador Digital e Estudante de Matemática: A História de Vinicius Cardoso

Publicado

em

O mundo das redes sociais e da influência digital está em constante evolução, e o Brasil tem sido lar para diversos talentos que emergiram nesse cenário. Entre esses talentos, encontramos Vinicius Cardoso, um jovem de 24 anos que tem conquistado o seu espaço como influenciador digital enquanto segue sua jornada acadêmica na Universidade Federal de Sergipe, onde cursa Matemática.

Vinicius Cardoso é um exemplo de como a paixão por conteúdo digital pode ser harmoniosamente combinada com a busca pelo conhecimento acadêmico. Sua trajetória começou em 2018, quando iniciou sua jornada como influenciador digital, e desde então, ele tem se destacado de maneira notável no cenário das redes sociais. https://instagram.com/viniciuscardoso_of

O equilíbrio entre sua vida acadêmica e carreira digital é um dos aspectos mais inspiradores da história de Vinicius. Enquanto muitos podem considerar desafiador conciliar os estudos com a pressão e demanda de ser um influenciador, Vinicius tem mostrado que é possível alcançar ambos com sucesso.

O que torna a história de Vinicius ainda mais impressionante são suas conquistas notáveis no mundo digital. Ao longo de cinco anos, seu trabalho o levou a colaborar com grandes marcas nacionais e internacionais, incluindo nomes como Omo, Confort, Jeitto e Mr.Shake. Essas parcerias mostram a confiança que as empresas depositaram em sua capacidade de influenciar e envolver seu público.

@viniciuscardoso_of

Um destaque particular em sua carreira foi sua colaboração com a marca internacional POSEE, que produz chinelos feitos de E.V.A. Essa parceria demonstrou que o alcance de Vinicius vai muito além das fronteiras do Brasil, tornando-o uma influência global.

O talento e dedicação de Vinicius Cardoso também foram reconhecidos com premiações de destaque. A Olho Mágico Produções, a nível estadual, conferiu a ele três premiações, evidenciando sua influência e impacto regional. Além disso, duas das empresas com as quais ele colaborou foram premiadas em 2023, destacando a qualidade de suas parcerias.

A trajetória de Vinicius Cardoso é um exemplo inspirador para jovens que buscam seguir seus sonhos, seja na área acadêmica, nas redes sociais ou em ambas. Sua capacidade de conciliar o mundo acadêmico com o sucesso digital demonstra que, com paixão, determinação e dedicação, é possível alcançar múltiplas facetas de sucesso.

Enquanto continua a expandir seu alcance e influência, Vinicius Cardoso certamente continuará a ser um nome a ser observado no mundo digital e acadêmico. Sua história é uma lembrança poderosa de que as possibilidades são infinitas quando se segue os seus interesses e paixões com determinação.

Continue lendo

Educação

Rhema Educação apresenta curso livre sobre neuroplasticidade nos primeiros anos de aprendizagem

Publicado

em

Jornada da Neurociência e Aprendizagem na Escola com foco em profissionais da área acontecerá de forma on-line e totalmente gratuita no dia 21 de setembro

Os primeiros anos de vida são parte fundamental do aprendizado, porque é nesse momento que o cérebro das crianças está altamente maleável. Por essa razão, cada vez mais profissionais procuram entender o impacto da neuroplasticidade no desenvolvimento das crianças e como aplicar os conhecimentos da neurociência em sala de aula.

Pensando nisso, o Grupo Rhema, empresa especialista em educação com mais de 80 mil alunos formados, está promovendo a Jornada da Neurociência e Aprendizagem na Escola, um evento on-line e gratuito que acontecerá no dia 21 de setembro, auxiliando profissionais da área a conhecerem novas formas de ensino, considerando os conceitos da neuropedagogia.

Mara Duarte, especialista em neuropedagogia, mentora e diretora pedagógica e executiva do Grupo Rhema Educação, explica que a neuroplasticidade, a memória e a aprendizagem caminham juntas e são importantes para o desenvolvimento cognitivo das crianças. “A falta de compreensão sobre esses conceitos pode levar os professores a práticas pedagógicas desatualizadas e menos eficazes”, relata.

Estudos revelam que o cérebro das crianças é altamente flexível, permitindo a formação de novas conexões neurais e adaptações constantes. Isso destaca a importância de ambientes enriquecedores e estimulantes para otimizar o desenvolvimento cognitivo.

Para a diretora do grupo educacional, professores que não estão cientes desse conceito podem acreditar erroneamente que a capacidade de aprendizagem dos alunos é fixa e imutável. “A utilização desses recursos para estimular as crianças pode fazer uma grande diferença ao longo de todo o processo educativo, tornando o ensino mais personalizado e eficiente”, finaliza.

Serviço

Jornada da Neurociência e Aprendizagem na Escola

Data: 21 de setembro de 2023

Link para inscrição: clique aqui

Sobre Mara Duarte

Mara Duarte da Costa é neuropedagoga, psicopedagoga, psicomotricista e coach educacional. Além disso, atua como mentora, empresária, diretora geral da Fatec e diretora pedagógica e executiva do Grupo Rhema Educação. As instituições já formaram mais de 80 mil alunos de pós-graduação, capacitação on-line e graduação em todo o Brasil. Para mais informações, acesse o site ou pelo instagram.

Sobre o Grupo Rhema

O Grupo Rhema foi criado por Fábio da Costa e Mara Duarte da Costa há mais de 14 anos com o objetivo de oferecer conhecimento para profissionais da educação e pessoas envolvidas no processo do desenvolvimento infantil, tanto nas áreas cognitivas e comportamentais, quanto nas áreas afetivas, sociais e familiares.

A empresa atua em mais de 20 países, impactando a vida de milhões de pessoas pelo mundo com cursos de graduação, pós-graduação, cursos de capacitação e eventos gratuitos. Para mais informações, acesse o site ou pelo instagram.

Continue lendo

Educação

Cascavel: Professor Pablo Jamilk Lança Curso Gratuito de Português

Publicado

em

Estudar a língua portuguesa é algo considerado difícil e monótono por muitos. Verbos, crase, sintaxe, tudo isso parece ser um quebra-cabeça complexo, não é mesmo? Contudo, não precisa ser assim. O doutor em Letras, Pablo Jamilk, acaba de lançar um curso extensivo totalmente gratuito, que ensina português de forma leve e prática.

“Desenvolvi um método para que as pessoas aprendam português sem sentir aversão à língua”, afirma Pablo.

O curso é recomendado para todos os tipos de alunos, desde o nível iniciante até médicos, advogados e professores da área da educação, que necessitam aprimorar sua competência na língua portuguesa, seja para melhorar sua expressão pessoal ou para se preparar para testes, como concursos e vestibulares.

O curso é dividido em módulos abrangendo os seguintes conteúdos de Língua Portuguesa: Morfologia, Sintaxe, Semântica, Concordância, Regência, Acentuação, Crase, Pontuação, Colocação dos Pronomes, Ortografia e Dificuldades gerais da Língua Portuguesa.

Pablo enfatiza a importância de difundir os fundamentos da língua portuguesa, visto que, com a rápida evolução da era digital, as facilidades proporcionadas pelas ferramentas de áudio e os textos gerados por Inteligência Artificial como o GPT estão levando os brasileiros a abandonarem o hábito de estudar e escrever.

Muitas pessoas desconhecem as regras para o uso correto da vírgula, em parte devido a alguns professores que ensinavam na escola que a vírgula deveria ser usada onde houvesse pausa na respiração.

Outro aspecto que observamos cada vez menos é o uso adequado dos acentos, que em alguns materiais escritos são praticamente inexistentes.

“A vírgula não é uma questão de estética e não deve ser usada com base em ‘feeling’; existem regras para seu uso”, comenta Pablo.

Para acessar o curso, inscreva-se no site do professor Pablo Jamilk e no Youtube:

https://www.pablojamilk.com.br/revisando-o-portugues/

https://www.youtube.com/live/kmqmX-GdbDo

Além deste curso gratuito, Pablo possui mais de mil vídeos publicados em seu canal no YouTube, nos quais ele ensina a língua portuguesa de forma descomplicada e gratuita.

Serviço:

Método Jamilk

Data de Início: 11/09/2023

Horário: 14h30

Local: https://www.youtube.com/live/kmqmX-GdbDo

(Os módulos serão disponibilizados todas as segundas e quartas-feiras).

Continue lendo

Celebridades

Jorge Aragão, Marina Lima, Rodrigo Amarante e muitos outros no festival MANGO

Publicado

em

Dia 02 de setembro será a data de celebrar a valorização da arte em meio à natureza. A primeira edição do MANGO vai acontecer no jardim ecológico Uaná Etê, em Sacra Família do Tinguá, cidade do interior do Rio de Janeiro, e vai reunir grandes nomes da MPB como Jorge Aragão, Marina Lima, Céu apresentando Baile Reggae, Rodrigo Amarante, Julia Mestre e Ana Frango Elétrico cantando de Björk a Jorge Ben. Serão mais de 14 horas de música a partir das 10h30 da manhã em dois palcos: um principal e um teatro acústico. 

“Será uma experiência musical rara e irreverente, que promove também assuntos atuais sobre sustentabilidade e transparência”, resume Rodrigo Tavares, CEO da MangoLab, que completa: “é uma imersão para o descobrimento de arte sonora. Teremos trabalhos autorais mais conhecidos, mas também novos talentos, além de evidenciar diferentes movimentos culturais da música brasileira em suas raízes”.

Na programação terá ainda shows especiais como Os Garotin, Nova Orquestra tocando Novos Baianos, Tunico convidando Joca & Luana Karoo, um DJ set da própria MangoLab com Lysia Vani, Gaspar Muniz & Facchinetti e muito mais.

Será a comemoração dos cinco anos da MangoLab, plataforma que atua como laboratório cultural e vitrine artística, e incentiva palcos alternativos – ao vivo e digitais – para aproximar artistas emergentes e nichados dos seus públicos existentes e potenciais. Os ingressos para o MANGO custam R$325 (segundo Lote) e podem ser adquiridos no link junto com o transfer. 

Data: 2 de setembro de 2023 (sábado)

Local: Jardim Ecológico Uaná Etê

Endereço: RJ-121, 2265 – Sacra Família do Tinguá, Eng. Paulo de Frontin – RJ

Informações e ingressos: https://linktr.ee/_mangolab | https://www.instagram.com/mangolaboficial/ 

Continue lendo

Educação

Prefeitura de Caldas Novas recebe alunos da Associação Pestalozzi na Horta Comunitária

Publicado

em

A Prefeitura de Caldas Novas, por meio da Secretaria de Ação Social e Melhor Idade, promoveu na manhã desta quarta-feira, 30, na horta comunitária Colheita Feliz, um encontro com os alunos da Associação Pestalozzi.

Além do contato com as hortaliças cultivadas no local, os visitantes aprenderam como as plantas se desenvolvem e a importância delas para a saúde. De acordo com a secretária e primeira-dama, Márcia Marra, o espaço verde atende aos moradores e quem queira visitá-lo.

“O intuito dessa ação tão importante é mostrar para a população que é possível cultivar bons alimentos. Aqui, as pessoas podem ter contato direto com as hortaliças, aprendendo inclusive sobre educação ambiental”, declarou ela.

O espaço, que tem 32 canteiros de seis metros para plantio de hortaliças, além de uma área destinada ao cultivo de outros vegetais, fica localizado no Centro Comunitário Dr. Rodolfo Rohr, no Setor Santa Efigênia. Na Horta Comunitária Colheita Feliz, são cultivadas hortaliças como alface, couve, rúcula, cheiro verde, rabanete, e outros vegetais como mandioca, quiabo e abóbora.

Continue lendo

Educação

Ação da SESU/MEC que interfere na decisão do STF sobre cursos de medicina pode inviabilziar novas vagas e editais do próprio MEC

Publicado

em

Quadro complicaria cenário de déficit de médicos no País, que conta com 2,38 profissionais por mil habitantes concentrados em grandes centros urbanos

A soma das duas decisões recentes – uma tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e outra, pela Secretaria de Educação Superior, SESU do Ministério da Educação (MEC), – pode, na prática, inviabilizar a abertura de novas vagas para cursos de medicina privados no Brasil e até a própria política de chamamento público patrocinada pela Lei 12.871/2013.

De um lado, a Sesu incentivou o aumento de vagas e a oferta de novos cursos de medicina pelas Instituições Federais de Ensino, o que torna instável a oferta de vagas para novos editais e coloca em xeque a viabilidade de novos cursos privados. De outro, está a recém-anunciada decisão do Ministro Gilmar Mendes, do STF. Trata-se de resposta à Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) da Associação de Universidades Particulares (ANUP), na qual a entidade defendia a abertura de novos cursos de Medicina apenas pelos critérios do Programa Mais Médicos.

O ministro acatou parcialmente o pedido, ao permitir que as Instituições de Educação Superior que já tenham liminares deferidas e a análise de documentos concluídas pela Secretaria de Regulação e Supervisão do Ensino Superior – SERES/MEC possam seguir com o pedido de abertura de cursos de medicina, em uma decisão alinhada a argumento defendido fortemente pela Advocacia Geral da União.

Hoje centenas de instituições de ensino superior têm ações judiciais nas quais pleiteiam a abertura de cursos de medicina fora do Programa Mais Médicos e aquém de moratória estabelecida entre 2019 e 2023. O argumento das instituições para entrar com as ações para a abertura de novos cursos de medicina está calçada na ideia de que, independentemente da constitucionalidade da Lei do Mais Médicos, há compatibilidade na convivência com as autorizações de novos cursos por meio do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes).

“A decisão do Ministro de modular a decisão foi muito sábia. Estamos felizes, pois ela implica uma vitória da ABRAFI, ao garantir a tramitação de, pelo menos, 120 processos de autorização de novos cursos de medicina, oriundos, em sua maioria, da utilização da Lei do SINAES, o que, em última análise, chancela o entendimento da ABRAFI de que Lei do Mais Médicos e Lei do SINAES não são excludentes, nem antagônicas.  A decisão ajuda a sanar parcialmente a falta de médicos no Brasil principalmente em cidades do interior do País”, diz Paulo Chanan, presidente da Abrafi, Associação Brasileira das Faculdades, que reúne instituições de ensino superior de médio e pequeno portes de todo o País. “O que nos preocupa agora é a tentativa da SESU de inviabilizar as novas autorizações, com o aumento de vagas e cursos pelas Universidades Federais, sem alinhamento em relação ao posicionamento da AGU sobre a divisão de leitos existentes para os processos em andamento e para os eventuais munícipios que possam ser enquadrados pelos novos editais da Lei dos Mais Médicos,” completa.

A SERES/MEC, baseada numa orientação da Consultoria Jurídica – CONJUR/MEC, exposta na Cota 019/23 e na Nota 1497/2022, considera a razão de cinco leitos na região de saúde analisada, para cada nova vaga, quando vai expedir portaria de autorização de um novo curso de medicina. Dessa maneira, numa cidade com 100 leitos disponíveis, a SERES liberaria, no máximo, 20 novas vagas para novos cursos. O ponto é que a SESU, por meio do Ofício Circular nº 4/23, instruiu que as Instituições de Ensino Superior Federais avaliem com a máxima urgência a ampliação do número de vagas ofertadas e a abertura de novos cursos de medicina, já informando o quantitativo de vagas a ser colocada à disposição.

“É algo absurdo, na medida em que essa expansão buscada pela SESU tende a inviabilizar os novos cursos privados. Importante que se diga que a SESU propôs essa expansão sem um estudo de viabilidade técnica e sem apontar de onde virão os recursos para isso. É público que expansão de vagas e de cursos de medicina demandam investimentos elevadíssimos e compromissos normativos, especialmente na infraestrutura física, tecnológica e acadêmica. Na mesma medida, a SESU/MEC não aponta para abertura de concursos para contratação de novos professores médicos, já que a formação médica exige profissionais especializados. Independentemente de a IES ser pública ou privada, a educação médica precisa estar fundamentada em padrões e critérios de qualidade, que devem ser universais e igualitários,” complementa Chanan.

Segundo ele, em última análise, a decisão do STF, combinada com a ação da SESU ataca a saúde forma pesadíssima, de um lado, pela limitação do número de novos médicos e, de outro, por impedir que a expansão das escolas privadas alcance os rincões e a população mais carente, além de ignorar os elevados investimentos que já foram feitos pelas instituições privadas que tem sem processos de autorização em trâmite e em sintonia com a decisão do STF.

Continue lendo

Educação

Educação cidadã: fazer sentir para transformar

Publicado

em

Somos muito bem-informados, mas centenas de notícias de racismo, intolerância, violência e preconceito não parecem ser suficientes para que nossa visão de mundo e ações mudem. Não é que somos insensíveis. Mas informação por si só nunca significou mudança de perspectiva e, consequentemente, de ações. Ser informado é importante, mas não é o suficiente.

Para mudar, precisamos ter vivências que nos coloquem numa posição de mudança. Parafraseando Jorge Larrosa Bondia, professor da Universidade de Barcelona, a grande diferença entre a experiência e a informação é que a experiência é o que nos passa, o que nos acontece, o que nos toca. Nossas memórias mais marcantes são de momentos que vivemos, não de coisas que aprendemos. A neurociência explicita que a emoção no momento do aprendizado é fundamental para sua internalização de longo prazo. Então, como criar vivências em sala de aula para que nossos jovens possam se transformar?

A Viven – Cidadãos para um Amanhã Melhor nasceu em 2019 no Brasil e tem como missão fomentar transformação social, por meio da educação cidadã. Ela se inspira e tem parceria com a High Resolves, que desde 2015 atua na Austrália e já recebeu vários prêmios locais, além do reconhecimento da Schwab Foundation no Fórum Econômico Mundial. Em quase quatro anos de Brasil, a Viven já formou mais de três mil professores de 218 escolas públicas e particulares do ensino Fundamental II e do Ensino Médio, de 95 municípios brasileiros.

Acreditamos que a educação cidadã desempenha papel vital na formação de indivíduos conscientes, responsáveis e comprometidos com a coletividade. No entanto, a abordagem tradicional da educação em geral negligencia o aspecto emocional e subjetivo do aprendizado. Neste contexto, reconhecer a importância do sentir e da emocionalidade na educação cidadã emerge como um componente essencial para a formação integral do século XXI. A conexão entre sentimentos e ações é chave na formação de cidadãos ativos e engajados. É preciso criar mais espaços de vivências no ambiente escolar.

Para isso, nós, da Viven, formamos educadores por meio de metodologia de homologia de processos: eles se conectam com seus próprios sentimentos e experimentam sua transformação pessoal durante sua formação. Depois, têm acesso à nossa biblioteca, repleta de materiais e de recursos. O objetivo é levar as vivências aos estudantes em aulas diferenciadas que se utilizam do sentir para transformar.

Para concluir a trilha de aprendizado, os estudantes, em equipe, percorrem um jogo de 10 etapas criando vídeos de um minuto sobre uma causa social para a qual querem dar visibilidade e propor uma chamada para ação. Em 2022, foram produzidos mais de 500 vídeos para o Desafio Videos for Change, premiados em 12 festivais regionais, abrangendo 16 cidades de São Paulo, Pernambuco, Pará, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Sergipe. Este ano, os 81 vídeos vencedores dos festivais regionais, participarão do primeiro Festival Videos for Change Nacional com o objetivo de dar uma voz ainda mais potente aos estudantes.

A ênfase na vivência não apenas enriquece a experiência educacional. Ela prepara os estudantes no seu pensamento crítico e protagonismo e permite enfrentar os desafios complexos de uma sociedade em constante evolução. Ao valorizar o sentir para transformar, a educação cidadã capacita os estudantes a desenvolver empatia, compreensão interpessoal, habilidades de resolução de conflitos e um compromisso genuíno com o bem-estar coletivo, o que estabelece uma base sólida para um futuro mais harmonioso e inclusivo. Que o sentir ganhe espaço nas salas de aula!

Lina Wurzmann é responsável pela criação da Viven no Brasil e lidera a ONG desde 2019.

Continue lendo

Educação

Fundação FAT lança duas pós-graduações para atender a demanda do mercado

Publicado

em

Disponibilizado em parceria com o SIEEESP, os cursos Gestão Estratégica de Instituições de Ensino e Neuroaprendizagem e Performance Cognitiva serão certificados pela UniFIL

A Fundação de Apoio à Tecnologia (FAT), instituição sem fins lucrativos que tem como propósito incentivar a pesquisa aplicada, a inovação, o desenvolvimento tecnológico e profissional e a educação em todo o território nacional, está lançando dois novos cursos de pós-graduação Lato-Sensu – o Master Education em Neuroaprendizagem e Performance Cognitiva e o MBA em Gestão Estratégica de Instituições de Ensino.

Com uma matriz curricular bastante completa, o Master Education terá uma carga de 360 horas, das quais 150 serão para as disciplinas síncronas e as outras 210 para as mediadas por tecnologia. O curso tem como proposta levar o conhecimento da Neuroaprendizagem aos estudantes, expandido o conteúdo para outras áreas além da NeuroEducação, e está ancorado em três pilares específicos, como o funcionamento do cérebro, o processo de aprendizagem em si e o gerenciamento e melhoria da performance.

O grande diferencial em relação ao mercado é que a nova proposta engloba não só a parte do funcionamento do cérebro, bem como a cultura de aprendizagem, visando uma grande performance cognitiva, isto é, a gestão de todos os processos.

“Com a modernização da educação e com os recursos disponíveis, é urgente promover as adaptações necessárias para um perfil de aprendizes ao longo da vida, nos diferentes ambientes, criando uma estrutura de aprender a aprender em qualquer tempo, local, conteúdo, entendendo que aprendizagem é adaptação”, destaca a professora Adriana Mello, coordenadora do Master Education em Neuroaprendizagem e Performance.

Já o MBA em Gestão Estratégica de Instituições de Ensino, objetiva levar ao público informações no que se refere à legislação, ou seja, ao processo regulatório, mercado educacional, desafios desse setor, associados ao segmento financeiro, marketing, recursos humanos e tecnologia aplicada.

Com matérias EaD e disciplinas com encontros ao vivo e integrado por docentes do mercado com vasta expertise, o objetivo do curso é atingir o que o aluno precisa, tanto na parte de captação quanto de manutenção do negócio, passando pelo fortalecimento da marca institucional. A carga horária total é de 360 horas, sendo 150 para as matérias síncronas e 210 para as mediadas por tecnologia.

Para o coordenador do MBA em Gestão Estratégica de Instituições de Ensino, professor Marino Alves, a ideia é tornar o MBA prático, dispondo de uma matriz curricular bem atrativa em relação ao que existe no mercado. “A especialização visa garantir a visão do business como um todo e, ao mesmo tempo, assegura que os participantes, mediatos pela realidade que trarão para a sala de aula, façam uma socialização de saberes”, comenta.

Certificados pela UniFIL (Centro Universitário Filadélfia), instituição que possui mais de 80 anos de tradição, e disponibilizado em parceria com o SIEEESP (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo), as especializações têm como proposta oferecer aos alunos novas perspectivas de aprendizagem, visando fomentar o desenvolvimento educacional no Brasil.

Segundo a professora Regina Stefano, gestora de cursos do SIEEESP, “a parceria entre a Fundação FAT, UNIFIL e SIEEESP possibilitará que os estudantes tenham cursos de qualidade por preços acessíveis, o que contribuirá ainda mais para o desenvolvimento educacional do país”, ressalta.

De acordo com o presidente da Fundação FAT, César Silva, as novas especializações são algumas das formas encontradas pela FAT para contribuir com o principal alicerce dos seres humanos: a educação. “Um país cresce significativamente quando instituições e sociedade trabalham unidas, em prol de benefícios que garantam mais estabilidade, tranquilidade e qualidade de vida à população. Acreditamos que os novos cursos fornecerão novas perspectivas àqueles que desejam evoluir do ponto de vista educacional”, completa Silva.

O Master Education em Neuroaprendizagem e Performance Cognitiva começa ainda neste mês, em 26 de agosto. Já MBA em Gestão Estratégica de Instituições de Ensino terá início em 2 de setembro.

Sobre a Fundação FAT

A Fundação de Apoio à Tecnologia – FAT foi fundada em 1987 com o propósito de incentivar a pesquisa aplicada, a inovação, o desenvolvimento tecnológico e profissional e a educação em todo o território nacional, estendendo esses serviços a organizações públicas e privadas, e à comunidade em geral. Como entidade de direito privado sem fins lucrativos, a FAT tem como objetivo colaborar com as instituições que atuam nas áreas da educação e da tecnologia, buscando estimular e desenvolver o conhecimento através de programas de geração, difusão e transferência de tecnologia.

Para mais informações acesse: https://fundacaofat.org.br/

Continue lendo

Educação

Tecnologia educacional como ferramenta de formação de uma nova geração

Publicado

em

Adler Ismerim

A sala de aula e a forma de aprendizagem e ensino já não são mais os mesmos de anos atrás. É importante estar ciente que o ato de inovar na educação não se trata apenas de disponibilizar equipamentos tecnológicos que despertam a curiosidade do aluno, mesmo que a tecnologia seja uma facilitadora nesse processo. Inovar na educação é ampliar as possibilidades e utilizar de novas ferramentas para dar maior significado ao processo de ensino, aprofundando conhecimentos e promovendo a autonomia dos alunos.

Investimos milhares de reais em produtos que oferecem mais acessibilidade ao estudo, principalmente para o aprendizado de ciências e tecnologia. Isso já gerou impacto na vida de mais de dois milhões de estudantes da educação básica em todo o Brasil e nos mais diferentes níveis de ensino.

Para ter ideia, durante a pandemia, as soluções da INNYX foram disponibilizadas para o Governo de São Paulo. Hoje, as soluções educacionais também estão associadas às universidades coorporativas no Sul, Sudeste, Norte do País e em expansão.

Com o avanço tecnológico que o mundo vive, o que inclui uma maior interatividade, uma necessidade de mudança em aspectos sociais e, principalmente, educacionais, nada mais natural do que inovar a forma de ensinar. Por isso, faz todo o sentido nossos esforços em investir em projetos disruptivos.

Um exemplo é o Caminhos da Ciência. Trata-se de um laboratório de ciências móvel, que incentiva de maneira criativa a iniciação científica. Mais de 1.000 unidades do Caminhos da Ciência já foram entregues em instituições de ensino pelo país e impactaram mais de 2 milhões de alunos. Os laboratórios móveis do Caminhos da Ciência contam com diversos recursos para o ensino de conceitos básicos e complexos da matriz curricular e podem, ainda, ser customizados pelas escolas que os adquirem.

Outra avenida que investimos é o Make Zone, um programa educacional que integra elementos de gamificação e robótica educacional em meio a cultura maker. Já o Plural+, se refere à uma plataforma EAD personalizada, com gerenciamento de conteúdo. O estudante tem uma curadoria nos estudos e proximidade com os professores. Além disso, a Plural+ foi desenvolvida garantir acesso dos estudantes às aulas mesmo em áreas mais distantes, em que a conexão com a internet não tem grande velocidade.

O Brasil tem cerca de 48 milhões de estudantes no ensino fundamental e médio, sendo que 35 milhões estão em escolas da rede pública. Segundo dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), quando comparado com outros 78 países, o Brasil está em último lugar no desempenho de ciências. Por isso as escolas e os profissionais de educação necessitam de ferramentas e soluções inovadoras, que estimulem o interesse e o entendimento das ciências para seus alunos.

Capacitar as crianças e os jovens no conhecimento das ciências e da tecnologia é garantir que eles estejam preparados para um mercado de trabalho que demanda cada dia mais profissionais dessas áreas. Só no setor de desenvolvimento de softwares, por exemplo, estima-se que até 2025 o Brasil possa enfrentar um déficit anual de 159 mil desenvolvedores. Os dados, do ano passado, são da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais (Brasscom).

É importante que toda a cadeia ligada à educação compreenda e aloque esforços em tecnologia avançada. Nunca o Brasil teve tantos jovens, é necessário que essa parcela da população seja capacitada e inserida no mundo do trabalho. Para isso, precisamos dar acesso ao conhecimento e a tecnologia é uma forma assertiva de levar educação aos estudantes de todas as regiões do país.

Soluções educacionais alinhadas a proposta da Base Nacional Comum Curricular para educação básica já existem e elas vão desde um ambicioso sistema de ensino gamificado à projetos temáticos diversos em áreas como empreendedorismo, conhecimentos regionais, educação no trânsito, meio ambiente, entre outros.

Há mais de dez anos mergulhamos neste segmento e entendemos que o processo educacional precisa se adaptar às mudanças da sociedade. Hoje, investimos, por exemplo, em um hub de tecnologia que cria softwares e plataformas que ajudam na rotina administrativa das unidades escolares e ainda investe em uma plataforma de ensino que dinamiza várias estratégias para disponibilizar conteúdos e interação como painel criativo, fórum e chats.

Não temos mais tempo a perder. A pandemia acelerou o processo de evasão escolar e o Novo Ensino médio tem provocado polêmicas no aprendizado, mas há soluções capazes de colaborar com os jovens a treinarem habilidades e construir conhecimentos em diversas áreas de ensino. A hora é agora e a tecnologia educacional é uma ferramenta que está disponível para quem acredita que o futuro deve ser construído por meio da capacitação de uma nova geração.

  • Adler Ismerim, líder e fundador da INNYX.
Continue lendo

Educação

Viven, ONG que leva educação por meio de vivências a escolas de todo Brasil, anuncia primeira edição nacional do seu Festival Videos for Change

Publicado

em

Evento incentiva que jovens e adolescentes assumam protagonismo e debatam temas de impacto da sociedade

A ONG Viven – Cidadãos para um Amanhã Melhor – lança a primeira edição nacional do seu Festival Vídeos for Change. O evento propõe a estudantes do ensino fundamental e médio de escolas de todo o Brasil produzir vídeos de duração de um minuto sobre causas que eles acreditam merecer visibilidade. O projeto envolve o aprendizado profundo sobre o tema, por meio de debates, análises e práticas, além de apoio para que os estudantes realizem todas as etapas da produção do vídeo, desde a escolha da causa que será apresentada até a criação do roteiro e técnicas para edição e gravação. Todos os professores dos alunos participantes são formados pela Viven para que apoiem a execução do projeto.

Em 2022, a Viven organizou 12 festivais regionais do Desafio Videos for Change, abrangendo 16 localidades dos estados de São Paulo, Pernambuco, Pará, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Sergipe que movimentaram mais de 3,5 mil alunos de 108 escolas e 337 professores. Cerca de 500 vídeos foram inscritos e analisados por 55 jurados voluntários e indicados em votação popular por 15 mil pessoas. Desse total, 81 foram premiados por um corpo de jurados multidisciplinar em categorias como originalidade, criatividade, melhor uso de recursos técnicos, narrativa coerente e voto popular. Agora, na primeira edição nacional do evento, os 81 vídeos serão levados novamente à votação popular e à análise de jurados, como Luana Genot e Sônia Guimarães.

“Estamos muito felizes de apresentar nacionalmente o projeto, que, vale dizer, engloba um movimento que vai muito além do Brasil. Ele é internacional e tem o objetivo de dar oportunidade a jovens e adolescentes serem ouvidos e explicitarem suas preocupações e posicionamentos”, explica Lina Wurzmann, presidente e fundadora da Viven. “Com isso, os estudantes se aprofundam em temas que julgam relevantes e amplificam suas vozes e protagonismo”, complementa.

O trabalho da Viven teve origem na High Resolves, organização pioneira que, desde 2005, tem como missão viabilizar a educação cidadã por meio de metodologias inovadoras na Austrália e em outros países espalhados pelo mundo. O trabalho utiliza conceitos da neurociência, Teoria dos Jogos e Economia Comportamental, com resultados comprovados na prática. Atualmente, a High Resolves e a Viven fazem parte da Accelerator, uma organização mundial.

“A proposta da Viven é promover a educação cidadã, por meio de vivências, pois acreditamos que é preciso sentir para transformar. Para isso, usamos atividades como jogos, roda de conversa e outras experiências para que os estudantes ampliem o seu olhar sobre a sociedade e se tornem cidadãos mais críticos e comprometidos com a transformação social”, diz Anna Colacino, diretora executiva da organização.

No Brasil desde 2019, a ONG já implementou sua metodologia em 318 escolas de 111 cidades, contando com mais de 170 mil participações de estudantes nas vivências desenvolvidas. Os professores são fundamentais para a proposta da organização, que forma os profissionais com o objetivo de apoiá-los na implementação do método. “Formamos os professores pois eles têm o vínculo com seus estudantes, o que gera mais conexão e transformação no longo prazo. Nosso objetivo maior é contribuir para que os estudantes tenham melhores desempenhos acadêmicos, senso de pertencimento à escola e suas comunidades, consciência social, e atuem em prol da coletividade pautados por justiça social”, diz Colacino.

A votação popular do Festival Nacional do Desafio Videos For Change ocorrerá no período de 28 de agosto a 10 de setembro e qualquer pessoa pode participar. Basta acessar o site http://brasil.videosforchange.org/. A escolha dos melhores vídeos vai considerar ainda a votação dos jurados. O anúncio dos ganhadores ocorrerá em 19 setembro em uma Live no YouTube.

Continue lendo

Celebridades

Donato no Relato lança DVD com 7 músicas inéditas dentro do estilo Love Song

Publicado

em

“Donato em Relatos de Amor” marca nova fase do cantor goiano que investe suas rimas em um trabalho que fala de amores e desamores, sem perder o bit da rima

O rapper Donato no Relato lança seu primeiro DVD, intitulado “Donato em Relatos de Amor”, na próxima terça-feira (8/08). Esse novo trabalho promete levar seus fãs a uma jornada romântica e surpreendente, que marca uma nova fase de sua carreira, em que investe em contar histórias que fisgam os corações. Com 7 músicas inéditas e um feeat, o artista sente que é hora de dar um passo adiante em sua trajetória, impulsionado pelo reconhecimento de seu trabalho independente nos últimos três anos. As canções estarão disponíveis nos streamings de música e DVD no canal do Youtube.

Em Donato em Relatos de Amor, o cantor inovou na estética comum na cultura da música de periferia em busca de um novo patamar de visual. O resultado promete surpreender os fãs e proporcionar uma experiência singular aos amantes do rap. “Se tem um tema que agrada a maioria das pessoas, é o amor. Meu desejo é que as letras toquem as emoções de todas as formas”, conta antecipa Donato.

Entre as gravações que poderão ser conferidas estão as músicas “Amor ou Desejo”, “Amor Idiota”, “Obsessão Perigosa”, “Viver é Melhor que Sonhar”, “Modo Avião”, “A Dama e o Vagabundo” e o feet com a cantora Taysa “Porque tem que ser assim”.

Uma das novidades que Donato destaca é a ousada participação de um saxofonista na produção de um DVD de rap “O instrumento entrega uma emoção diferente nas melodias”, defende ao destacar a talentosa equipe envolvida na produção.

Foto: Crédito: Marcel Bianchi

Continue lendo

Educação

Greenpeace, Instituto Ser+ e Museu das Culturas Indígenas oferecem vagas gratuitas para capacitação profissional de jovens em todo o Brasil

Publicado

em

Em qualquer setor, eficiência e desempenho são essenciais para o sucesso do profissional. Dentro desse contexto, investir na qualificação e possibilitar que novos profissionais possam ter acesso ao mercado de trabalho e terem a chance de aperfeiçoar suas habilidades e desenvolver novas, se tornou fundamental para geração de empregabilidade e ampliação de mão de obra qualificada.

Por meio dessas iniciativas, é possível auxiliar o desenvolvimento de profissionais de diferentes segmentos, oferecer acesso à informação de qualidade e formação técnica, além de dar a possibilidade desses profissionais conseguirem se manter atualizados, relevantes dentro de suas áreas de atuação e competitivos no mercado de trabalho e na sociedade como um todo.

Para Daniel Spolaor, cofundador e CEO da Koru, um polo de conhecimento para o aprimoramento de carreiras e já ofereceu mais de R$ 1 milhão em bolsas de estudo, os programas de capacitação profissional não devem ser ignorados por empresas e organizações.

“Hoje você tem as empresas que investem em capacitação e isso é fundamental, porque a formação corporativa, com cursos e programas que permitem atualização e desenvolvimento de novas habilidades da equipe, resultam diretamente no desempenho e na capacidade de inovação de uma marca. Além disso, os colaboradores se tornam mais engajados, se sentem mais valorizados e pertencentes, o que aumenta a retenção dos talentos e a construção de uma estratégia eficaz de gestão de pessoas”, afirma.

Veja lista de empresas e organizações que oferecem cursos de capacitação totalmente gratuitos para a população.

Cursos Gratuitos

*PROA abre milhares de vagas para cursos profissionalizantes gratuitos para jovens de escola pública de SP, MG, RJ e PR*

O Instituto PROA está com inscrições abertas e milhares de vagas para cursos de capacitação online e gratuitos para quem quer iniciar no mercado de trabalho. Jovens de 17 a 22 anos, que estão concluindo ou que já concluíram o Ensino Médio em escola pública nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio de Janeiro podem fazer suas inscrições pelo link https://plataforma.proa.org.br/login/index.php, até o dia 4 de setembro.

O curso do PROA tem 100 horas e é dividido em 4 módulos que preparam os alunos para definirem metas profissionais e se saírem bem nas entrevistas de emprego: autoconhecimento, projeto profissional, raciocínio lógico e comunicação. São 7h30 de aulas por semana, de segunda a sexta-feira. Ao final do curso, os participantes recebem certificado de conclusão e acesso a uma plataforma exclusiva de vagas de emprego.

Instituto Ser+ abre 30 vagas para projeto de capacitação em tecnologia

Em parceria com a Unico, empresa brasileira especializada em identidade digital, o Instituto Ser+, que desde 2014 atua na criação e desenvolvimento de oportunidades para a juventude, está com 30 vagas para o projeto New Start Único, um curso voltado para jovens de 18 a 22 anos, da cidade de São Paulo, que tenham concluído o ensino médio em escola pública. As aulas serão presenciais e ministradas na Universidade São Judas Tadeu, no bairro da Mooca. O projeto vai oferecer aos participantes cartão alimentação, plano odontológico, kit pedagógico e uma bolsa de 50% na mensalidade da Universidade São Judas Tadeu.

O objetivo é descobrir novos talentos para o mercado de tecnologia, preparar esses futuros profissionais para atender as demandas do mercado além de desenvolver competências comportamentais, como resolução de problemas e raciocínio lógico, além de construção de conhecimentos técnicos em programação (front-end), tecnologia da Informação lógica de programação; HTML; CSS; JavaScript; Node JS; Data Base (SQL e no-SQL), jQuery, Bootstrap e projeto de vida e carreira.

As inscrições para participação no projeto ficarão disponíveis até o dia 04/08, pelo link: https://materiais.sermais.org.br/unico-new-start-sao-paulo

Greenpeace e Clima de Eleição prorrogam as inscrições para formação em advocacy climático para jovens das periferias até 14 de agosto

O Greenpeace Brasil e a organização Clima de Eleição, que promove a importância da agenda climática para a população jovem brasileira, anunciam a prorrogação das inscrições para o programa Adaptajuv – advocacy, adaptação e juventudes pelo clima, até o dia 14 de agosto.  O projeto tem como objetivo capacitar jovens de Manaus (AM), Recife (PE) e São Paulo (SP) para a atuação ativista em prol de políticas públicas de adaptação às mudanças climáticas. Podem participar organizações ou coletivos que já desenvolvem ações sociais por justiça climática, contra o racismo ambiental e que tenham interesse em incidir sobre a agenda climática de seus municípios. As inscrições podem ser realizadas pelo link: https://www.greenpeace.org/brasil/adaptajuv/.

Com 135 vagas, o programa terá aulas on-line de agosto a novembro, e disponibilizará 30 bolsas conectividade de R$ 100,00 para quem precisar de apoio para custos de acesso à internet. O período das aulas será de cerca de 30 dias – na sequência, três organizações de cada território serão selecionadas para a segunda fase do programa. Elas vão receber apoio financeiro para desenvolverem as campanhas de advocacy, como incentivo para organização de oficinas no território, além de comunicação e incidência política local pressionando o poder público.

Órbi Academy e Programadores do Amanhã abrem inscrições para curso gratuito de programação a jovens pretos, pardos e indígenas

Estão abertas inscrições para cursos gratuitos de programação, inglês e soft skills. A iniciativa é da ONG Programadores do Amanhã, novo parceiro do Órbi Conecta, principal hub de inovação de Minas Gerais. O curso que tem duração de um ano e foco em jovens de 16 a 21 anos, de baixa renda, pretos, pardos e indígenas é uma oportunidade para jovens de todo o Brasil, por ser 100% remoto, jovens de todo território nacional podem se candidatar. Para se inscrever os interessados devem estar regularmente matriculados no 2º ou 3º ano do Ensino Médio de uma escola pública. As inscrições podem ser feitas pelo link https://programadoresdoamanha.org, até o dia 31 de agosto de 2023 e a previsão do início das aulas é em setembro.

Além da formação em programação, serão ministrados também mais três módulos: inglês aplicado ao mercado de TI, soft skills, além de apoio psicológico. As aulas são realizadas ao vivo, via plataforma Zoom. Caso o aluno não tenha acesso à internet e não possua computador, ele receberá um notebook e, também, auxílio financeiro para custear a internet durante todo o curso. A metodologia de aprendizagem é baseada em aplicação prática. Além da formação em si, no final do curso, os estudantes recebem apoio para serem admitidos no mercado de trabalho.

Museu das Culturas Indígenas promove encontros para formação gratuita de educadores

Neste mês de agosto, educadores dos ensinos fundamental e médio de São Paulo, poderão participar gratuitamente do ciclo de formação em temáticas indígenas. Os encontros acontecem em duas datas: em 10/08, das 10h às 12h, com foco no ensino fundamental, em 19/08, e das 15 às 17h, para educadores do ensino médio. A participação é gratuita e as inscrições estão abertas no site: https://museudasculturasindigenas.org.br/. Além das escolas, o ciclo formativo, conduzido pelos Mestre de Saberes, membros indígenas do programa educativo do Museu, também pode ser acompanhado por educadores de outros espaços de aprendizagem. A iniciativa é organizada pelo Museu das Culturas Indígenas (MCI), instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari (Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari) em parceria com o Instituto Maracá e o Conselho Indígena Aty Mirim.

Continue lendo

Educação

Exposição: “Ah, eu amo as mulheres brasileiras!” Da origem às consequências: objetificação da mulher brasileira na visão de 19 artistas

Publicado

em

Exposição apresentada em NY, em 2022, ganha nova versão e será apresentada no Centro Cultural São Paulo entre 8 de julho e 27 de agosto;

“Ah, eu amo as mulheres brasileiras!”, exposição coletiva que será inaugurada em 8 de julho, no Centro Cultural São Paulo (CCSP), apresenta um conjunto de 36 obras como uma revisão crítica da imagem estereotipada das mulheres brasileiras. Ao mesmo tempo, sugere caminhos para mudanças de paradigmas, por meio do afeto e da sororidade. A mostra pode ser conferida até 27 de agosto.

A exposição é uma versão de “Oh, I Love Brazilian Women!”, com maior número de trabalhos e participantes. A mostra foi apresentada em Nova York no ano passado e para o Brasil teve o título traduzido.

Nos Estados Unidos, a ideia foi chamar a atenção do público para a visão dos estrangeiros em relação às brasileiras. Um olhar muitas vezes preconceituoso, que objetifica seus corpos, mas nem é tão diferente do que acontece no Brasil. Aqui, esses danos ganham outra dimensão. “O foco da exposição agora é a origem do problema e as consequências dele para a mulher brasileira”, explica Luiza Testa, curadora das duas mostras.

De 2020, quando inscreveu o projeto curatorial na Chamada Aberta de NYC 2021-22 da apexart, até junho de 2023, Luiza não parou de pesquisar o tema. A jovem curadora recebeu diversos relatos de mulheres que vivem no Brasil e no exterior. “Fui abordada por pessoas que contaram suas histórias, experiências e isso foi enriquecendo a concepção da mostra, revelando outras camadas”, explica.

Nesse sentido, mais questões surgiram, como o racismo, a antinegritude, a transfobia, a violência sexual doméstica, a questão da feminilidade e o etarismo. Segundo Luiza, as diversas abordagens foram incorporadas quase que naturalmente, já que o grupo de artistas participantes é muito diversificado. “São 19 artistas mulheres de regiões diferentes do Brasil, de várias idades e com vivências únicas”. Dentre elas a poeta, letrista e autora, Alice Ruiz.

A exposição está dividida em quatro núcleos:

– O primeiro, De Iracema a Garota de Ipanema, aborda como o estereótipo perdura ao longo do tempo, desde o Brasil Colônia. Nessa seção, a obra de destaque é Meruka, de Arissana Pataxó, artista que também participou da versão novaiorquina da exposição.

– O segundo módulo, Violências e Violações, propõe uma reflexão sobre as agressões sofridas por mulheres e outros grupos. Engloba misoginia, etarismo, transfobia, embranquecimento. There’s no place like home, obra da artista D’Anunziata, se destaca nesse módulo. É uma alusão ao isolamento no período crítico da pandemia, que, apesar de necessário, deixou as mulheres mais vulneráveis à violência doméstica.

– Novas estéticas em construção, terceiro módulo, propõe romper os paradigmas de padrão de beleza, acolhendo a diversidade de corpos das mulheres. São imagens bem distantes do conceito tradicional de beleza. O Grito, de Milena Paulina, exemplifica essa opção ao mostrar mulheres nuas e gordas, gritando.

– E o último módulo da exposição, Afeto e Transgressão, apresenta o potencial dos afetos para acabar com estereótipos, preconceitos e combater violências. A obra Mira, da dupla Terroristas Del Amor, traduz esse propósito com a imagem de uma mulher trançando os cabelos de uma menina.

“Os núcleos um e dois são mais críticos, com a finalidade de problematizar. Os seguintes são mais otimistas, propositivos”, define Luiza que acrescentou mais uma novidade à mostra no Brasil.

Serviço
Exposição: “Ah, eu amo as mulheres brasileiras!”
Data: 08 de junho a 27 de agosto de 2023
Funcionamento: De terça a sexta, das 10h às 19h; sábado, domingo e feriados, das 10h às 18h
Local: Centro Cultural São Paulo
Endereço: Rua Vergueiro, 1000, Liberdade – SP

Continue lendo

Educação

Fundação FAT promove webinar gratuito com especialistas em Gestão Estratégica da Educação

Publicado

em

Seminário irá debater tendências do setor, com base nos indicadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior

A Fundação de Apoio à Tecnologia (FAT) e o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (SIEEESP) realizam, no dia 26 de julho, o webinar “Lendo os SINAES para entender os SINAIS”. Durante o encontro serão debatidas ações e tendências de Gestão Estratégica da Educação, a partir dos indicadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Foram convidados os professores Pedro Gueiros, vice-reitor do Centro Universitário ENIAC, e Maria Clara Schneider, especialista em Regulação Educacional e ex-reitora do Instituto Federal de Santa Catarina. A live acontece das 20h às 21h e será mediada pelo professor Daniel Nascimento, também consultor da Fundação FAT.

“Esperamos que este e futuros encontros inspirem profissionais, entusiastas e entidades de alto valor nos setores produtivos e educacionais a motivar e cobrar ações do Estado, pois acreditamos na educação profissional como um alicerce de construção de um País produtivo, mais igualitário e mais feliz socialmente”, afirma Francisco Borges, consultor da Fundação de Apoio à Tecnologia em Gestão e Políticas Públicas voltadas ao Ensino.

Para se inscrever gratuitamente no webinar basta preencher o formulário no link https://l.ead.me/bdv90C. Um link para assistir ao debate será enviado no dia do evento.

Continue lendo

Educação

Como se tornar fluente em italiano sem estar na Itália

Publicado

em

Fundador do Italiano Fácil explica como tornar o processo de aprendizagem mais fácil e natural, mesmo que o estudante não esteja no país

Ganhar fluência em uma língua é algo muito desejado por quem a estuda. Um caminho normalmente mais rápido para alcançar esse objetivo é viver no país em que a língua é falada cotidianamente, mas trata-se de uma opção que poucos conseguem escolher. Como fazer, então, para ganhar fluência em italiano sem estar na Itália?

De acordo com Ronaldo Siliveri, fundador do Italiano Fácil, escola de italiano com mais de três mil alunos no mundo todo, que vem crescendo 30% todos os anos, embora estar na Itália seja uma forma excelente de ganhar fluência no idioma, é totalmente possível se tornar fluente estando fora do país. “Atualmente, temos muitas ferramentas de aprendizado e alternativas diversas para estar em contato com o idioma desejado, independentemente do lugar do mundo em que o estudante viva. Nós mesmos temos alunos em todos os cantos do globo”, ressalta.

O estudo regular somado aos diversos recursos que o mundo online possibilita é a receita certa para se alcançar sucesso no aprendizado de italiano. “Um estudante que estiver fora da Itália e se dedicar verdadeiramente ao aprendizado poderá conquistar fluência tão rápido quanto um estudante que estiver na Itália, mas convivendo com brasileiros e falando português a maior parte do tempo, por exemplo”, avalia Ronaldo.

Confira as dicas do fundador do Italiano Fácil para ganhar fluência em italiano mesmo estando em outros lugares do globo:
Estude regularmente – Para ganhar fluência é preciso estudar. Defina um cronograma, estabeleça metas realistas e, se possível, faça um curso online que ofereça uma estrutura no aprendizado e orientação especializada.

Use o máximo que puder os recursos digitais – Se o aluno não está na Itália, precisa utilizar aplicativos, sites, podcasts, vídeos e todos os outros recursos possíveis para ouvir a língua, ampliar o vocabulário e também melhorar a gramática.

Encaixe filmes e séries em sua rotina de aprendizagem – Segundo Ronaldo, eles são uma ótima alternativa para praticar e ganhar familiaridade com a língua.

Pratique a conversação – Para ganhar fluência é fundamental praticar conversação, por isso procure grupos online, parceiros de intercâmbio e até mesmo italianos nativos que possam estar morando em sua região.

Leia e escreva – Os livros são uma maneira de ampliar vocabulário e melhorar a gramática. É possível começar com os mais simples, até mesmo infantis, e depois ir experimentando outras opções. Aproveite para escrever o que você entendeu a cada leitura que fizer.

Esteja por dentro de eventos culturais relacionados à Itália – Festivais, exposições, festas de rua e vários outros tipos de eventos são uma oportunidade única de estar em contato com a cultura italiana e, de quebra, encontrar quem tenha nascido no país, fale a língua ou simplesmente esteja interessado em compartilhar informações e histórias.

De acordo com Ronaldo, o segredo da fluência é a prática regular e a imersão na língua, por isso é possível conquistá-la mesmo estando fora do país. “Naturalmente requer mais esforço e disciplina, mas é totalmente possível”, afirma.

Sobre Ronaldo Siliveri
É autor, empreendedor, pesquisador e fundador do Italiano Fácil, escola de italiano com mais de três mil alunos no mundo todo. Promotor oficial da Università Dante Alighieri e também professor convencionado à Università della Calabria.

Sobre o Italiano Fácil
Escola de italiano com mais de três mil alunos no mundo todo, que vem crescendo 30% todos os anos e é a única escola online do Brasil presente na Itália. Para mais informações, acesse https://italianofacil.com/ ou pelas redee @italianofacil

Continue lendo

Educação

O Ensino Superior Precisa “Cair na Real”

Publicado

em

César Silva (*)

O XV Congresso Brasileiro de Educação Superior – CBESP deste ano debateu o tema “Formação de Líderes Educacionais Inovadores”. Trata-se de uma pauta de extrema importância para o país, que precisa tomar um choque de realidade. Há muitos a serem revistos, melhorados e implementados.

Por exemplo, a proposta do governo federal de acudir o setor com recursos de financiamento, ou desenhar uma política de estímulo ao acesso, ainda está longe do ideal, mas é nítido que a discussão sobre a alfabetização de crianças pobres é prioridade da pasta, como foi no governo do atual ministro, Camilo Santana, no estado do Ceará. A experiência da alfabetização fonética, retomada no Ceará, mostrou-se muito eficiente e deve ser o primeiro projeto de governo na Educação.

Somado a isso, está claro que ainda urge na mesa um debate sobre a Reforma do Ensino Médio no que se refere ao aumento da carga horária, atendimento a individualização do aprendizado frente à falta de recursos metodológicos e tecnológicos para isso dar certo. A Reforma, que começou a ser implementada no ano passado, tem sido duramente criticada, pois sem investimentos, o novo sistema, que dá ao estudante o direto de escolher quais disciplinar cursar fica capenga. Da forma que está, não estamos preparando os jovens nem para o mundo trabalho e nem para a universidade, pois faltam espaços, condições e tecnologia.

Além dos pontos já mencionados, há se de pensar em uma pauta de estado que estimule o acesso ao ensino superior e garanta a continuidade de muitas IESs (faculdades, centros universitários e universidades) dada a situação delicada da grande maioria dos principais atores do setor no aspecto econômico e financeiro.

O Congresso também demonstrou que é preciso trabalhar em outra frente, pois ainda há uma “demonização” do EAD e um certo desespero pela retomada do presencial, mas me pergunto qual seria o motivo desta dissonância diante de uma realidade incontestável, que é o ensino remoto.

A educação superior vive um momento de fim de bolha. Trata-se de um mercado que tem quase 30 milhões de vagas ofertadas e somente 2,5 milhões de novos ingressantes por ano. Perde-se, em média, por evasão, 30% dos ingressantes por ano e por letargia e falta de vínculo com a realidade, não vislumbro um cenário positivo neste sentido. Perdemos a grande oportunidade de estimular novas soluções para o setor e de ouvir do mercado o que se espera dos graduados.

O Congresso deixou claro que é preciso investir na tecnologia para se ter uma EAD de qualidade, rever os modelos de ensino para que fiquem atrativos e faça sentido para os jovens, investir em estruturas e conhecimento para que a Reforma do Ensino Médio estimule os alunos a permanecerem na escola e investimentos para que se possa acabar com o analfabetismo de crianças, principalmente em regiões periféricas.

Turmas com excesso de alunos, falta de motivação e de segurança e aprovação automática são algumas das principais dificuldades apontadas pela comunidade escolar, sendo que as periferias possuem um cenário ainda mais delicado. É o que aponta a pesquisa inédita “Ouvindo a comunidade escolar: Desafios e demandas da educação Pública de São Paulo”, realizada pelo Instituto Locomotiva a pedido do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp). Os dados ainda mostram que 9 em cada 10 estudantes, professores e familiares concordam que o governo estadual deveria investir mais em educação.

É preciso mudar este quadro. A educação é o melhor investimento que um país pode oferecer à população. Trata-se de ferramenta de mudança, de melhoria e de avanço. Sem isso, estamos fadados ao atraso, pobreza e um cenário onde jovens não poderão ocupar espaços no mundo do trabalho por falta de competências essenciais.

* César Silva é diretor-presidente da Fundação de Apoio à Tecnologia (FAT)

Continue lendo

Educação

Pestana Hotel Group apoia comunidade da Cidade de Deus com projeto social “Obrigado por Ajudar”

Publicado

em

Com o objetivo de criar um impacto positivo no dia a dia das pessoas, através de melhorias na qualidade de vida, o Pestana Hotel Group apoia a comunidade Guaranys, parte integrante da Cidade de Deus, localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro, através do projeto social “Obrigado Por Ajudar”, que faz parte do programa de sustentabilidade do grupo, Planet Guest, campanha lançada nos hotéis em todo o mundo e Pousadas de Portugal – Ao contribuir com 1 Real no momento do Check Out, os Hotéis Pestana ajudam com mais 1 Real.

Em parceria com a TETO, o grupo fez uma doação de R$86.429,00 à comunidade para ajudar na construção de moradias mais dignas à população desta localidade.

No mês de maio, parte da equipe de colaboradores do Pestana Rio Atlântica visitaram a sede da TETO na comunidade Guaranys, na companhia da líder comunitária Maria Luiza, conhecida como “Mãezona” e da representante da TETO, Aryana Eyer.

Além da entrega do cheque, a equipe do Pestana Hotel Group conheceu como será a estrutura das novas casas comunitárias a partir de 2023, uma experiência enriquecedora para todos.

“Ficamos extremamente orgulhosos em poder contribuir para uma melhor vida das comunidades e esta ação reflete o compromisso do Pestana Hotel Group no apoio à comunidade local. Vamos continuar apostando nesta iniciativa em que os nossos hóspedes também têm um papel fundamental”, ressalta Gustavo Jarussi, diretor de operações do grupo na América do Sul.

 

Sobre o Pestana Hotel Group:

Com um percurso de 50 anos de sucesso, o Grupo tem e gere mais de 100 hotéis em Portugal e no estrangeiro, onde se dedica a proporcionar a 3,5 milhões de hóspedes por ano ‘The Time of Your Life’. Na hotelaria, o seu principal negócio, opera com quatro marcas: Pestana Hotels & Resorts, Pestana Collection Hotels, Pestana Pousadas de Portugal e Pestana CR7 Lifestyle Hotels. Presente em 16 países, tem mais de 12.000 quartos disponíveis na Europa, África e América e uma equipa global de sete mil colaboradores, sendo o maior grupo hoteleiro multinacional de origem portuguesa. Com o objetivo de oferecer produtos completos e mais atrativos, o Grupo opera ainda em outras áreas de negócio: hotelaria, imobiliário turístico, turismo vocacional, golfe, casinos, indústria e serviços.

O Pestana Hotel Group integra o programa Pestana Sustainability Program: Planet Guest – “Somos apenas hóspedes do Planeta” – que incorpora todas as iniciativas que promovem a sustentabilidade. O Planet Guest transmite a posição do Grupo e dos seus colaboradores no que diz respeito à sustentabilidade do Planeta em que vivemos e o foco do PHG na extrema preocupação perante as gerações futuras. Tem como objetivo criar valor no longo prazo para a empresa, desenvolvendo a sua atividade com respeito pelo meio ambiente, comunidades locais, colaboradores, clientes e todos os stakeholders relevantes no exercício da sua atividade.

Entre no universo Pestana e saiba mais em www.pestana.com

 

Sobre a TETO:

A TETO trabalha pela construção de um país justo e sem pobreza. Em associação com a organização internacional TECHO, presente em 18 países da América Latina, está há 15 anos no Brasil, mobilizando voluntários e voluntárias para atuar lado a lado de moradores e moradoras em comunidades precárias de diferentes Estados. Juntos, constroem soluções concretas e emergenciais que proporcionam melhorias nas condições de moradia e habitat destes territórios.

 

Serviço:

Pestana Hotel Groupa

Endereço: Pestana Rio Atlântica – Avenida Atlântica, 2964 – Copacabana – Rio de Janeiro

Site: https://www.pestana.com/br/

E-mail: reservas.br@pestana.com

Telefone: +55 (21) 3816-8533

WhatsApp: +55 (21) 99230-8881

 

TETO

Site: https://teto.org.br/

Instagram: @teto.br

 

 

Continue lendo

Ciência

Alerta: Jovens atletas também são sujeitos a problemas cardíacos

Publicado

em

Esporte é uma das formas de manter vida saudável, mas não um atestado de imunidade

Um alerta que tem como origem o impacto dos flagrantes de mal súbito envolvendo atletas pelo mundo afora. Apesar de ser uma forma de adquirir e preservar a saúde, o esporte – assim como a juventude – não é um atestado de imunidade aos riscos cardíacos.

Uma vida ativa, com prática frequentes de exercícios físicos, é um dos fatores de proteção contra a doença, principalmente quando se refere a doenças cardíacas.

Apesar de ser fortemente recomendado pelos médicos, o check-up regular não tem o poder de prever e evitar 100% dos eventos cardiovasculares, mesmo naqueles esportistas que mantém uma rotina pesada de treinos e acompanhamento médico rigoroso.

Dr. Heron Rached, médico cardiologista, ressalta que existem algumas condições que podem levar à morte súbita, além do infarto do miocárdio, durante as atividades em jovens aparentemente saudáveis.

Dr. Heron Rached - Crédito da Foto: Acervo Pessoal
Dr. Heron Rached – Crédito da Foto: Acervo Pessoal

O infarto agudo do miocárdio tendo a doença aterosclerótica – depósito de gordura no interior das artérias – em pacientes abaixo de 45 anos é mais frequente naqueles grupos onde o diabetes, colesterol alto, obesidade, hipertensão arterial e tabagismo estão presentes. Entretanto, alguns pacientes nascem com má formação congênita das coronárias e quando são submetidos às atividades físicas extremamente extenuantes, essas artérias coronárias sofrem compressão extrínseca de outras artérias levando a interrupção na passagem de sangue para o músculo do coração podendo ser outra causa de infarto do miocárdio ou morte súbita. Mas quando se fala de morte súbita não podemos esquecer das arritmias e, também, as cardiomiopatias que são doenças que acometem diretamente o músculo do coração.

O esforço além do limite do corpo também pode ser prejudicial mesmo quando o jovem é aparentemente saudável. O coração é um músculo e como qualquer outro músculo do corpo também sofre com excesso de carga.

“O atleta geralmente trabalha em nível máximo, com a adrenalina extremamente elevada, e essa substância pode ser responsável por espasmos das artérias coronárias ou arritmias causando o infarto e até mesmo a morte súbita, afirma Dr Rached.

Durante a pandemia por covid 19 observamos o aumento na incidência de infarto do miocárdio em todas as faixas etárias, sobretudo na faixa mais jovens.

Dr. Heron Rached - Crédito da Foto: Acervo Pessoal
Dr. Heron Rached – Crédito da Foto: Acervo Pessoal

Segundo dados do Ministério da Saúde, no Brasil, a cada dois minutos morre uma pessoa devido a uma enfermidade cardiovascular. A situação se agrava, pois, poucas pessoas sabem reconhecer os sintomas de um infarto – cerca de 2% dos brasileiros. Estilo de vida, sedentarismo, tabagismo, estresse, hipertensão arterial e diabetes formam o pacote dos principais fatores causadores da doença.

Dores e sensação de aperto no peito, falta de ar, fadiga e náusea. Esses e outros sintomas, de acordo com Dr. Heron, são fortes indicações de que uma pessoa pode estar sofrendo de infarto. Mas cerca de metade deles são silenciosos, ou seja, não apresentam qualquer sinal.

Pessoas que apresentam histórico familiar ou fatores de risco devem visitar o médico mais cedo”, recomenda Dr. Rached que aproveita para deixas algumas dicas :

* Pratique atividade física * Dê mais atenção às suas necessidades pessoais * Evite o estresse no trabalho * Alimente-se com calma * Mantenha os índices de colesterol e a pressão arterial sob controle * Abandone hábitos prejudiciais, como excesso de bebidas alcoólicas e cigarro.

Dr. Heron Rached - Crédito da Foto: Acervo Pessoal

Heron Rhydan Saad Rached é médico Cardiologista e Radiologista, com doutorado pela USP – Universidade de São Paulo e 32 anos de atuação na área.

DR. HERON RACHED – CARDIOLOGISTA

Heron Rhydan Saad Rached é médico, tem 32 anos de exercício profissional na área de Cardiologia.  Nasceu em 1965 na cidade de Campina Grande, na Paraíba, tendo cursado Medicina na Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa, concluindo o seu curso em 1990. Posteriormente, com o objetivo de complementar sua formação médica num centro maior, mudou-se para a cidade de São Paulo, onde está radicado desde 1993.  Em São Paulo, fez inicialmente a residência médica na área de Cardiologia no hospital da Real e Benemérita Sociedade Portuguesa de Beneficência. Aprofundando seus conhecimentos na Cardiologia, absorveu sua especialização em ecocardiografia e ressonância magnética cardiovascular, no instituto do Coração da Faculdade de Medicina da USP (Incor-FMUSP), onde também realizou o doutorado. Expandiu sua formação no exterior com um estágio em ecocardiografia na Universidade do Alabama em Birmingham nos Estados Unidos da América.

Seu espectro de atuação na Cardiologia é amplo e vai desde o atendimento direto do paciente em sua renomada clínica privada à sua contribuição com desenvolvimento da saúde na cidade de São Paulo, tendo implementado um modelo de verticalização da saúde suplementar que facilita o acesso à saúde a grande parte da população paulistana. Implantou na capital paulista o primeiro modelo de «homecare» (cuidado domiciliar) para pacientes de alta complexidade.

No plano administrative foi coordenador do setor de Cardiologia do grupo Prevent Senior (1997-2009) e atualmente é coordenador do núcleo de Cardiologia e Pneumologia dos Hospitais Leforte, função que exerce desde 2011. Tem atuado na área de pesquisa e produção científica, sendo editor e co- autor de 3 livros na área de cardio-oncologia, autor e co-autor de diversas publicações científicas nacionais e internacionais, e participante ativo em congressos de cardiologia, não apenas no Brasil como no exterior. Nos últimos anos tem-se dedicado ao estudo do envelhecimento populacional em busca de um modelo que promova o equilíbrio sustentável de saúde e bem-estar da população idosa.

Sua contribuição para o desenvolvimento da saúde na cidade de São Paulo é valiosa, o que justificou o decreto legislativo do vereador Adilson Amadeu, no sentido de conferir ao Dr. Heron Rached o título honorífico de Cidadão Paulistano, o que se dará em uma sessão solene a ser realizada na Câmara Municipal de São Paulo no dia 12 de Agosto de 2022. Essa merecida homenagem enche de alegria e orgulho o coração dos paraibanos, especialmente dos campinenses por se sentirem representados na Cardiologia de São Paulo.

Dr. Heron Rached - Crédito da Foto: Acervo Pessoal
Dr. Heron Rached – Crédito da Foto: Acervo Pessoal
Dr. Heron Rached - Crédito da Foto: Acervo Pessoal
Dr. Heron Rached – Crédito da Foto: Acervo Pessoal
Continue lendo

Ciência

A maior floresta natural de araucária do planeta.

Publicado

em

A maior concentração de Araucárias é no Paraná.

A Reserva Indígena da cidade de Mangueirinha, que tem 16.375 hectares, se localiza no centro sul do estado do Paraná e é habitada tradicionalmente pelos povos Kaingang e Guarani.

A TI possui uma grande área de cobertura florestal nativa e preservada, sendo um dos principais remanescentes de floresta de araucária do Brasil com 9.000 hectares de árvores naturais.

Os índios trabalharam na estrada de ferro que ligava o norte do Paraná ao Litoral pela Estrada da Graciosa, e pediram ao então governador que o salário deles fosse pago em terras, que preservam desde então e mantêm intocadas. Foto de Zig Kock.

 

Continue lendo

Educação

Ensino Superior: conhecer o passado e gerir o presente para construir o futuro

Publicado

em

Por César Silva*

A dificuldade de se entender o setor educacional como um setor de negócio, que precisa assegurar sustentabilidade para os prestadores deste serviço, é grande e se complica ainda mais quando é sabido que o resultado de um “serviço de formação” mal desenvolvido afeta a sociedade de maneira muito intensa e por anos.

No caso específico da educação superior, para prever a sua evolução e fazer considerações sobre seus aspectos atuais é necessária uma reflexão importante sobre sua história e características inerentes deste setor.

Ter lucro através da educação já foi visto como inaceitável por atores deste segmento. Desta forma, por anos, os detentores destas licenças identificaram formas de serem remunerados pelo serviço, alugando seus prédios para as instituições, gerindo as mesmas com seus familiares, de forma que, mesmo não gerando lucro, os mantenedores e seus “associados” eram beneficiados com as mensalidades e as instituições se mostravam não rentáveis nos balanços pós-custo.

Este mundo de ilusões se baseou, durante boa parte do século passado, em uma política similar à do café com leite (esta era da alternância do governo federal), a política do “biscoito e da bolacha”: de um lado o João Carlos Di Genio, mantenedor da Universidade Paulista – UNIP e do outro o outro João, o João Uchoa Cavalcanti Netto, mantenedor do Grupo Educacional Estácio de Sá, uma marca carioca de ensino superior.
Por anos, um acordo tácito entre os dois inovadores e disruptivos da época, garantiu que nunca as Unidades UNIP chegassem ao Rio de Janeiro e as unidades Estácio de Sá chegassem aos municípios do estado de São Paulo. Cabe destacar que, neste tempo, a oferta de ensino superior era para poucos, para descendentes de castas altas e de algumas famílias que se mostravam evolutivas da classe média; à medida que diversos setores evoluíam.

Como em todos os acordos de gaveta, uma hora eles são esquecidos e rompidos. E foi do lado carioca que surgiu um ímpeto de crescimento, na época em que unidades da Estácio de Sá, ensino presencial, se proliferavam como fungos (bastava abrir a geladeira e lá estava uma nova unidade de ensino superior da Estácio de Sá), enquanto o Centro Universitário Radial foi comprado pela Estácio e, no quintal das unidades UNIP, surgiu uma concorrência.

Esta história tem a finalidade de caracterizar um setor que tem como serviço um bem social, uma relação de atores que tem poucos anos que passou a se enxergar como instituições que devem atender sua finalidade, ser sustentáveis e valorizar seus mantenedores e acionistas e tem um histórico de pactos e acordos não triviais em segmentos de negócios com regulação mais intensa e bem estabelecida, até com órgãos reguladores privados.

Agora, nestes primeiros anos da 3ª década do século XXI, de 2021 em diante, pós-pandemia e com o crescimento intenso da oferta de cursos EAD, os grandes grupos que se estabeleceram a partir de um ensino presencial, com instalações físicas hoje consideradas megalomaníacas, vemos os executivos destes grupos, que por anos acusaram os mantenedores anteriores (incluindo grupos que foram incorporados) de retrógrados e de gerirem olhando pelo retrovisor, assumindo esta posição de conservadores contra as mudanças tecnológicas e a nova realidade de atendimento a um perfil de aluno muito mais cliente e menos produto. E com necessidades mais atuais e menos tradicionais.

A realidade do negócio educação superior mudou, da mesma forma que a produção manual passou para a produção em escala de maneira automatizada. Ainda continuamos consumindo medidores de água e luz, mas hoje são de plástico, e não de chumbo.

Sendo a educação um bem social, o produto deste setor é inspiracional, precisa ser motivador, precisa ter vínculo com a continuidade do estudo, ao mesmo tempo que precisa ser eficiente, econômico, e mais ainda dinâmico para aceitar mudanças trazidas pelos setores que empregarão os formados nos cursos de graduação.

Hoje, para ficarmos em apenas um exemplo que já grita uma grande diferença, ferramentas de Inteligência Artificial capazes de elaborar provas e corrigi-las, ao invés das horas de docentes mal utilizadas em tarefas repetitivas.

Rever os custos do setor a partir de uma nova e possível realidade é, portanto, aceitar que a tecnologia existe, é mais barata e mais acessível e eficiente.

O setor não aceita mais ilusionistas e a verdade se mostra mais rapidamente. É notório que a purificação do setor, independente do regulador, acontecerá. Até lá, quem conseguir romper com as suas amarras e construir projetos inspiracionais e com diferenciais tecnológicos e metodológicos realmente perceptíveis pelos leads, que são muitos, dará um grande passo para a continuidade de seu negócio.

O Setor Educacional é inspiracional e a mais importante inspiração é a possibilidade de empregabilidade para os jovens, a chance de receita e a valorização dos currículos.

* César Silva é diretor Presidente da Fundação de Apoio à Tecnologia (FAT) e docente da Faculdade de Tecnologia de São Paulo – FATEC-SP há mais de 30 anos. Foi vice-diretor superintendente do Centro Paula Souza. É formado em Administração de Empresas, com especialização em Gestão de Projetos, Processos Organizacionais e Sistemas de Informação

Continue lendo

Educação

Doutor em letras Pablo Jamilk lista 3 erros terríveis no uso da vírgula

Publicado

em

Há mais de 10 anos o professor compartilha dicas de português em suas redes sociais.  

A pontuação é uma ferramenta essencial para garantir a clareza e a coerência em um texto escrito. E dentre os sinais de pontuação, a vírgula é um dos mais importantes e frequentemente utilizados. O seu uso correto é fundamental para evitar ambiguidades e equívocos na comunicação escrita. 

A vírgula serve para separar termos dentro de uma frase, indicando uma pausa breve na entonação. Além disso, ela também pode ser usada para separar elementos em uma lista, para separar orações coordenadas ou para indicar uma interrupção no discurso. 

No entanto, a falta ou o excesso de vírgulas pode causar confusão no sentido da frase, alterando seu significado ou tornando-a ambígua. Por isso, é importante entender as regras gramaticais para o uso correto da vírgula e aplicá-las de forma consciente em textos escritos.

Abaixo o doutor em letras Pablo Jamilk, que há mais de uma década compartilha de português na internet, listou os erros mais comuns ao usar a vírgula, confira: 

 
3 – Vírgula Respiratória: não existe ensinamento mais estúpido em relação ao emprego da vírgula do que você dizer que para parar para respirar.   

2 – Colocar a Vírgula entre o sujeito e o verbo: trata-se do erro mais comum que as pessoas cometem. Veja só o exemplo:  

• O carro vermelho, bateu no poste. (errado)  

• O carro vermelho bateu no poste. (certo)  

3 – Colocar a vírgula após o “QUE” sem necessidade:   

Só se usará essa vírgula, quando houver uma sentença intercalada. Veja o exemplo:  

O juiz disse que, estava no galpão. (errado)

O juiz disse que, após a reunião, estaria no galpão. (certo)

Confira o post do Professor sobre o tema: https://www.instagram.com/p/CqdGUeIAsSx/ 

 

Continue lendo

Cinema

Projeto Triskle traz a arte circense do fogo para São José dos Campos no espetáculo “Transcendências”

Publicado

em

Trazendo o fogo em diversas modalidades de malabarismo, corda bamba, bambolês e led, em números de solos, duetos e conjuntos, o Projeto Triskle apresenta o espetáculo circense Transcendências nos meses de maio e junho em São José dos Campos, São Sebastião, Campinas, Botucatu, Santos, Ubatuba e São Paulo

Trazendo a arte circense do fogo em diversas modalidades de malabarismo, corda bamba, bambolês e led, em números de solos, duetos e conjuntos, o Projeto Triskle apresenta o espetáculo circense Transcendências. Tendo o fogo como grande protagonista, a montagem foi criada inicialmente para o festival Festa del Fuoco, em Stromboli, Itália, e chega ao Estado de São Paulo nos meses de maio e junho, com datas em São José dos Campos, São Sebastião, Campinas, Botucatu, Santos, Ubatuba e São Paulo.

A apresentação em São José dos Campos acontece neste sábado, na Casa de Cultura Flávio Craveiro, a partir das 20h – a entrada é gratuita. 

Concebido como um espetáculo para espaços abertos, parques ou praças, o trabalho pretende levar a arte circense do fogo para um público diverso: “Partimos da vontade de criar conexões entre bambolês e buugengs, entre didgeridoos e bambolês, entre a corda e o fogo, e ao mesmo tempo tínhamos o desejo de ir além dos nossos limites com a pirofagia, desbravando outros caminhos”, explica Barbara Francesquine, artista da trupe e diretora geral do espetáculo, que decidiu levar o projeto inicial para outro patamar.

Para assistir a um teaser do espetáculo, clique aqui

Instagram: https://www.instagram.com/projetotriskle/

site: www.projetotriskle.com

Para tanto, o novo trabalho acabou ganhando a colaboração da dramaturga Anna Toledo na elaboração do roteiro, que, em colaboração com os artistas, propôs provocações cênicas para a construção do espetáculo. Os números circenses narram as jornadas de três forças: a Curiosidade, a Coragem e a Virtude (representadas pelos artistas Alexandre Salomão, Barbara Francesquine e Gustavo Olitta). Através de jogos e desafios, cada “força” vislumbra nas outras a complementaridade e encontra a possibilidade de transcendência.

“O grande desafio foi elaborar a criação de forma que nós três conseguíssemos executar tudo sozinhos, inclusive a parte técnica, sem ajuda de técnicos de palco”, diz Barbara, ressaltando que esta autossuficiência é essencial para a vocação viajante e “de rua” do espetáculo. Entretanto, para a montagem que estreia no próximo dia 06, a trupe contará com uma equipe de colaboradores, que os auxiliará em toda a logística para levar “Transcendências” para as seis cidades em que o espetáculo será apresentado.

O resultado visual é mágico. Números circenses de alta voltagem poética e energética exploram os recursos e limites do elemento fogo, símbolo da transformação, da luz, dos grandes desafios e ritos, em exibições que reúnem mistério e virtuosismo. A trilha de Alexandre Salomão traz temas ancestrais dialogando com beats contemporâneos, propondo uma alquimia de elementos também através da música.

As oficinas que serão ministradas gratuitamente antes dos espetáculos nas cidades de Ubatuba e São Paulo terão duas horas de duração e irão abordar questões de segurança que os integrantes do Projeto Triskle consideram essenciais, em seus mais de 15 anos de experiência com fogo. Entre os tópicos abordados estão combustível, material para produção de equipamentos, fornecedores, material para figurino, questões de segurança em ensaios e apresentações – tudo voltado para segurança no trabalho do artista circense com fogo.

O projeto é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, da Secretaria de Economia e Cultura Criativa, do ProAC Editais, da Dente de Leão Cultural e do Projeto Triskle.

Serviço:

ESPETÁCULO TRANSCENDÊNCIAS

 

06/05 (sábado)

São José dos Campos – SP

Fundação Cassiano Ricardo

Casa de Cultura Flávio Craveiro

Av. Lenin, 200 – Dom Pedro I

Horário: 20h

Entrada gratuita

 

07/05 (domingo)

São Sebastião – SP 

Espaço Cultural Circo Navegador

Rua Prefeito Mansueto Pierotti, 826 – Vila Amélia

Horário: 19h

Entrada gratuita

 

13/05 (sábado)

Campinas – SP

Nano Circo

  1. Tácito Monteiro de Carvalho e Silva, 629 – Cidade Universitária

Horário: 19h

Entrada gratuita

 

14/05 (domingo)

Botucatu – SP

Mais infos em breve

 

27/05 (sábado)

Santos – SP 

Jardim Botânico de Santos

  1. João Fraccaroli, s/n – Bom Retiro

Horário: 17h

Entrada gratuita

 

28/05 (domingo)

Ubatuba – SP

Mais infos em breve

 

31/05 (quarta-feira)

São Paulo – SP

Praça Roosevelt

Praça Franklin Roosevelt, s/n – Bela Vista

Horário: 20h

 

03/06 (sábado)

São Paulo – SP

Tendal da Lapa

  1. Guaicurus, 1100 – Água Branca

Horário espetáculo: 19h

Entrada gratuita

 

Sinopse: 

Transcendências é um espetáculo circense que narra as jornadas de três forças: a Curiosidade, a Coragem e a Virtude (representadas pelos artistas Alexandre Salomão, Barbara Francesquine e Gustavo Olitta).

O elemento que rege o espetáculo é o fogo, símbolo da transformação, da luz, dos grandes desafios e ritos. Números circenses de alta voltagem poética e energética, executados com grande virtuosismo, exploram os recursos e limites deste elemento que fascina, cria, nutre e destrói.  Através de jogos e desafios, cada “força” vislumbra nas outras a complementaridade e encontra a possibilidade de transcendência.

O espetáculo apresenta diversas modalidades de malabarismo, corda bamba, bambolês de fogo e led, exibidos em números de solos, duetos e conjuntos. A trilha de Alexandre Salomão traz temas ancestrais dialogando com beats contemporâneos, propondo uma alquimia de elementos também através da música.

A mensagem final é clara: às vezes o resultado da soma é maior do que as partes. As diferenças nos fortalecem e engrandecem, quando sabemos reconhecê-las e nos apoiamos no melhor de cada um.

Ficha Técnica:

TRANSCENDÊNCIAS

Artistas-criadores: Barbara Francesquine, Gustavo Olitta e Alexandre Salomão.

Direção geral: Barbara Francesquine

Roteiro e Provocação Cênica: Anna Toledo

Trilha Sonora: Alexandre Salomão

Figurino: Juliana Nunes

Produção Executiva: Dente de Leão Cultural

Duração: 40 min.

Classificação indicativa: Livre.

 

CV PROJETO TRISKLE 

Projeto Triskle foi fundado em 2014 e é uma co-parceria entre Bárbara Francesquine e Gustavo Ollitta. Vem sendo desenvolvido com intuito de explorar e expandir o vasto universo dos malabares de manipulação. A cia trabalha a partir da fusão de diferentes elementos como buugengs e bambolês, construindo uma atmosfera surreal e lúdica; enquanto brinca com ilusões de ótica e dança.

Cada espetáculo representa um jogo entre similaridades e diferenças dos artistas. Gustavo Ollitta com seus movimentos fluidos e suaves introduz ao público o mundo dos Buugengs e, por outro lado, Bárbara Francesquine recria possibilidades com bambolês, desconstruindo a referência comum que se tem deles. Juntos, combinam suas habilidades e caminham por outros equipamentos como Pois, Rollings, Aros e Corda Bamba, sempre propondo maneiras inusitadas de apresentar-los

O Projeto vem percorrendo festivais e eventos dentro e fora do Brasil, como Carvanal de Veneza (Itália), SoulVision Festival  (SP), Mundo de OZ (SP), Convenção Paulista de Malabares e Circo, entre outros. O Espetáculo Transcendências teve sua estréia em Setembro de 2016, no Festival del Fuoco (Itália). Em fevereiro de 2017 o Projeto Triskle apresentou trechos do espetáculo em parceria com o Grupo Poin, da Cia Cabelos de Maria, no Sesc Pompéia (São Paulo). Em 2021 o espetáculo foi remontado e aprimorado com apoio dos editais Proac 2020 e Funarte 2020.

MINI BIO BÁRBARA FRANCESQUINE (DIREÇÃO GERAL E INTÉRPRETE-CRIADOR)

Bárbara Francesquine é artista circense e dançarina, com especialidade em BAMBOLÊS, que viaja o mundo apresentando espetáculos, performances e ministrando workshops.

Seus números e espetáculos integram a programação dos mais diversos festivais e convenções de circo nacionais e internacionais, como Festival Internacional de Circo do Sesc, Festival Paulista de Circo, Circuito SESC de Artes, Boom Festival, FIC, Universo Paralello, FAM Festival, Palhaçaria Paulistana, etc.

É co-criadora do coletivo A Penca (com maria carolina oliveira e andrea barbour), e do Projeto Triskle (com Gustavo Ollitta), co-diretora e produtora do grupo Biolumini de pirofagia e circo e integra o coletivo Maya-Lila de Dança. Além disso, desenvolve seus projetos solo, como o espetáculo Meus Tons de Mulher (com bambolês de tinta), e uma série de números e performances com bambolês, rollings, buugengs e outros equipamentos. Foi intérprete-criadora dos espetáculos Nö (Núcleo Desastre, 2017-2018), Tour du Monde (Direção Monica Alla, 2017) e Cabaré Malabarístico (Los Circolos, 2015-2019)

Paralelamente, ministra e produz workshops de bambolês há mais de 10 anos, e também de vídeo-circo, juntamente com Alexandre Salomão. Foi produtora e realizadora do 3 encontro brasileiro de bambolês em 2015 e do 1 e 2 e 3 festival internacional e virtual de bambolês, durante a quarentena.

MINI BIO GUSTAVO OLLITTA (INTÉRPRETE-CRIADOR)

Gustavo Ollitta Começou suas pesquisas no mundo da manipulação e malabarismo no ano de 2007. Sendo autodidata, acabou criando o seu  manipulação com objetos particulares como o Buugeng, onde produziu vídeos de alcance nacional e internacional. Em 2011, o artista se juntou à Equipe Performática Biolumini.

Em 2012, Gustavo foi convidado para se apresentar na Europa, no Boom Festival 2012, Portugal e começar sua graduação circense de 3 anos no curso de formação de circo na Scuola Di Cirko Vertigo.

Durante os últimos anos Gustavo foi contemplado com muitas participações em Programas Televisivos como Italia’s Got Talent,Encontro com Fátima Bernardes, conferências internacionais como Global TED Talks, TEDx Cannes, TEDx Milan e espetáculos solo e de grupo em mais de 20 países ao longo da Europa, Ásia , América do Norte, Oriente Médio e Emirados Árabes.

Em 2016 Gustavo formou com a artista Bárbara Francesquine e Alexandre Salomão a companhia Triskle Project e em 2018 a companhia Equilibra com a artista Lucero Ponce, criando diferentes pesquisas de manipulação e movimento em grupos.

MINI BIO ALEXANDRE SALOMÃO (INTÉRPRETE-CRIADOR E MÚSICO)

Alexandre Salomão AKA SXLOMAO é multiartista atuante no audiovisual e na música, é responsável por criar narrativas sonoras para filmes e espetáculos. Em 2014, apresentou-se em alguns festivais como Rec-Beat, Festival de Inverno de Garanhuns com o grupo Embuás tocando didgeridoo. Em 2015-16, participou da turnê Europa com Bárbara Francesquine no espetáculo de rua Bálê com didgeridoo e bambolê de fogo nas cidades de Madrid, Berlim, Zurique, Torino, Pula e Santa Tereza (Sardenha), Atenas. Em 2017, apresentou seu trabalho Kryptokritik no Universo Paralello com mapping e programação sonora. Em 2018, ganhou melhor trilha sonora com o filme Geopoesis no FestCine de Recife. Em 2019, produziu a trilha sonora para o espetáculo “Cartas”, de Luiz Manuel. Em 2020, produziu a trilha sonora do filme Corpo Monumento e do espetáculo Meus Tons de Mulher de Bárbara Francesquine. Em 2021, produziu a trilha sonora do vídeo dança Plantando o Voo de Elis Costa. Nesse mesmo ano, fez sua live streaming COMO LIVE com conceitos de Live Cinema e trilha sonora imersiva e também produziu a trilha sonora do espetáculo Transcendências do Projeto Triskle, inicialmente criada na Festa Del Fuoco em Stromboli, Itália.

Paralelamente, SXLOMAO também toca em festas, é parceiro de set do selo alemão Kabelkiste Kabelkasts, mantém a pesquisa dos processos de cura através das frequências sonoras nos chakras do corpo e desenvolve aplicações de banho sonoro para práticas meditativas e curativas com instrumentos de diversas regiões do mundo para todas as pessoas.

Continue lendo

Educação

Jovem desenvolve aplicativo inovador que utiliza inteligência artificial na educação

Publicado

em

App Ursula aposta em tutoria personalizada digital para as novas gerações

Um empreendedor de apenas 23 anos acaba de criar um aplicativo que utiliza inteligência artificial para acelerar o processo de aprendizado de jovens e crianças. A ideia de Pedro Lucca, fundador e CEO da Ursula, é tornar o aprendizado mais dinâmico e personalizado para toda uma nova geração nascida na era digital, utilizando a tecnologia para adaptar o aprendizado ao ritmo de cada aluno e fornecer feedbacks instantâneos para pais e responsáveis.

O aplicativo funciona como um tutor para crianças e jovens de 8 a 14 anos, possibilitando que eles suplementem o aprendizado da escola. Segundo Lucca, a inteligência artificial da Ursula será capaz de identificar as dificuldades de cada aluno e os assuntos que mais despertam a curiosidade e atenção deles. O principal diferencial do aplicativo é a fórmula de ensino.

“Os conteúdos são personalizados com temas que chamam a atenção, a utilização da IA abre infinitas possibilidades de conteúdos, será possível aprender cálculo estequiométrico usando Pokémon ou metafísica de Kant usando metáforas de Roblox”, conta. “A IA também poderá indicar atividades complementares para aprofundar os conhecimentos em determinados assuntos de interesse dos estudantes”, complementa.

A ideia de desenvolver o aplicativo surgiu quando Lucca leu um artigo científico publicado em 2013 na revista Nature. Segundo o estudo, apesar das novas tecnologias e o amplo acesso à informação, a quantidade de gênios no mundo estava caindo. O motivo: a educação em massa não tem sido capaz de desenvolver todas as capacidades das crianças.

Para Lucca, esse é um problema que ainda persiste nos dias de hoje. “Outra pesquisa, realizada por Benjamin Bloom, aponta que o aluno tutorado performa melhor que 98% dos estudantes educados somente pelos métodos tradicionais”, afirma. “A educação personalizada é um fator essencial no desenvolvimento de suas habilidades”, completa o jovem, que planeja ampliar a oferta do aplicativo para crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social.

Com o objetivo de oferecer uma solução completa para o ambiente educacional, o aplicativo também terá uma plataforma para os pais, que poderão acompanhar o progresso de cada aluno em tempo real e identificar os pontos em que seus filhos precisam de mais atenção e aqueles em que mais se destacam e possuem interesse, potencializando suas habilidades e ajudando a melhorar a comunicação entre pais e filhos. Além dos conteúdos educacionais, o aplicativo contará com um espaço de comunidade, que ajuda crianças a encontrarem novos amigos com interesses em comum.

O aplicativo possui vários diferenciais, como trilhas de aprendizado montadas com o apoio da inteligência artificial, tutores virtuais capazes de corrigir exercícios e atividades em grupo para ajudar as crianças a desenvolver suas habilidades sociais.
A Ursula prevê ter 10 mil usuários registrados na plataforma até o final de 2024 e já mira rodadas de investimentos. “Acreditamos que a tecnologia pode ser uma aliada no processo de ensino, tornando-o mais eficiente e acessível a todos”, diz o fundador. “Nós estamos criando condições para uma nova geração de gênios”, finaliza.

Continue lendo

Educação

Linguista cognitivo fala sobre o chat GPT e como ele pode afetar a cognição humana

Publicado

em

Chat GPT é uma ferramenta baseada em inteligência artificial capaz de redigir textos, emular diálogos, resumir livros e uma variedade de outras funcionalidades. Na minha opinião como Linguista Cognitivo, na mesma velocidade em que essa ferramenta pode ajudar companhias a aumentar a velocidade de seus negócios, também pode prejudicar sobremaneira a cognição humana.
Muito daquilo que mantém nosso sistema cognitivo em alerta e saudável tem a ver com a forma como nós o exercitamos. Você precisa ler, escrever, interagir, ser criativo, ser proficiente em algo durante o dia para que não viva em um perpétuo tédio de automação. Na contramão desse processo, uma ferramenta que “cria” pelo indivíduo é capaz de gerar uma atrofia cognitiva no processo de criação do ser humano. Praticamente como se não fosse mais necessário pensar para que os textos sejam produzidos. O algoritmo dá conta.
Bem, é claro que ainda há lacunas nessa ferramenta – os textos produzidos ainda são imprecisos em diversas situações, há incorreções gramaticais e uma prolixidade perceptível após ler dois ou três textos.
A grande questão que se avizinha é: como lidaremos com essa ferramenta nas escolas, nas universidades? O que será da produção científica? Artigos, teses, dissertações? Uma gama de escrita automática e irrefletida? O aluno do ensino médio ainda será obrigado a escrever uma redação? Essa habilidade ainda será algo necessário, uma vez que há ferramentas que já automatizam a escrita? A reflexão é dura e exige energia cognitiva, o que não é a praia de quem usa o Chat GPT.
Fotos: Renata Abegg
Continue lendo

Educação

Academia Paulista de letras faz homenagem ao maior Coach do Brasil Jose Roberto Marques

Publicado

em

Renomado especialista do comportamento humano, José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) , com grande experiência em treinamentos comportamentais,  é um dos pioneiros em Coaching no Brasil recebe na última segunda (20), homenagem na Academia Paulista de Letras, em São Paulo.

                   

Com mais de 30 anos de carreira, José Roberto Marques (JRM), autor de diversos best-sellers sobre o desenvolvimento e comportamento humano, fundador do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) participa da cerimônia em comemoração dos 15 anos da Escola da Vida, a convite do empreendedor serial Ricardo Bellino.
A Escola da Vida foi fundada em 2008, e ao longo da trajetória, homenageou grandes nomes do empreendedorismo nacional com o Diploma Doutor Honoris Causa da Escola da Vida,

 

 

 

 

 

 

entre eles: Professor Antônio Carbonari Neto, Alair Martins, Abraham Kasinski, Victor Siaulys, Amador Aguiar, Arri Coser, José Carlos Semenzato, Silvio Santos e Edson de Godoy Bueno.

 

 

 

 

 


Durante as festividades na Academia Paulista de Letras, foi lançada a versão comemorativa dos 15 anos do livro “Escola da Vida”, com grandes nomes cujas trajetórias serviram de fonte e inspiração para milhares de pessoas, e aconteceu também a cerimônia de homenagem com o “Diploma Honoris Causa da Escola Vida”.
Para José Roberto Marques, especialista no desenvolvimento humano e mentor de grandes empresários e personalidades nacionais e internacionais é uma honra participar da solenidade.

 

 

 

 


“Todo o meu propósito de vida é fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu potencial infinito. Receber essa homenagem me traz uma imensa alegria e satisfação em continuar trilhando uma jornada de sucesso, e principalmente ajudar a transformar vidas. Ao longo da minha carreira, mais de 90 mil “mentorados” e mais de 60 milhões de pessoas foram impactadas com o meu trabalho, além dos 65 livros que publiquei e das diversas palestras que realizei em mais de 40 países. Contribuir com o empreendedorismo é dar chance para novos talentos, novas ideias, e para que a sociedade desperte para uma nova mentalidade e poder infinito, em todas as áreas; profissional, pessoal, autoconhecimento, inteligência emocional, alta performance e perdão. ”, destaca José Roberto Marques.

 

 

 

 

 

 

Além de ser um dos principais coachings do país, o coaching José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), se compromete a oferecer um aprendizado de ponta por meio de seus cursos de coaching, palestras sobre liderança, livros de coaching e muito mais.